Então pessoal, eu, Lucas Almeida, estou dando continuidade para a série. Veja mais sobre o futuro da equipe do Juventude clicando, abaixo, no botão "Leia mais".

Após ter batido o Internacional por uma vitória apertada de 1 x 0, eu e o elenco, ficamos bastante confiantes para o próximo jogo. Iríamos jogar contra o lanterna do campeonato, o Esportivo.



 Analisei os jogos passados do nosso adversário e descobri que o time gosta de jogar bastante pelas laterais. Assim ordenei para meus jogadores, marcação dobrada, o time é pequeno, mas nossa responsabilidade é enorme. Antes disso, ressalvei nossa posição no campeonato para os jogadores. Vejam nossa situação na tabela:


Com estas condições, escalei o time da seguinte forma: 


Antes de entrar em campo, ainda no vestiário, disse aos laterais Murilo e  Alan para apoiarem os ataques da equipe e voltarem para marcar. E assim fomos para o jogo...

Logo no primeiro tempo, aos três minutos, gritei de alegria quando Diego abriu o placar para o Juventude. A alegria só aumentou, quando Élber fez um belo de penaltie para nossa equipe. Meus olhos brilhavam ao ver os torcedores do Juventude gritarem de felicidade.
Com o fim do primeiro tempo, fomos ao vestiário e parabenizei o trabalho em equipe do elenco até o momento. Apenas tirei o zagueiro Rafael que demonstrava cansaço, colocando em campo o meu único zagueiro para reserva, Robinho. Apenas com uma alteração no elenco, voltamos para o segundo tempo:


No segundo tempo, não houve nada de mais. Efetuei as duas restantes alterações na equipe, que não fizeram muita diferença. Apenas modifiquei um lateral e um atacante. O jogo terminou com vitória para nossa equipe, vejam:


Com esta vitória e o empate do 2º colocado (São Luiz) com o Internacional, nos favoreceu o 2º lugar, atrás do Grêmio com apenas três pontos:


Iniciado o 2º turno do estadual, iriamos jogar contra o Caxias, que estava em penúltimo lugar no campeonato:


Decidi então, já que o adversário não era tão forte, repetir a formação usada contra o Esportivo. Dada-se algumas ordens aos jogadores. Apenas tirei o Rogerinho, pus o Léo Santos e tirei o Murilo para a entrada do lateral Brock. Com tudo, fomos para o estádio, entrando em campo com esta formação:



Fim do primeiro tempo. Entre os 8' aos 30' a dupla de ataque deu um show! Ronaldo e Bérgson fizeram os dois primeiros gols da partida. Fiquei muito feliz ao ver isto se repetindo. A alegria acabou aos 37', quando o atacante Marcelo Carvalho diminuiu pra sua equipe. 

Indo ao vestiário, chamei a atenção dos jogadores:

Eu: O que aconteceu galera? Vocês estavam jogando perfeitamente bem, fizeram dois gols e levaram um. Por que? Porque vocês relaxaram de mais! Não quero que isso se repita!

Antes de voltar para o segundo tempo, recordei das jogadas do Caxias e pude imaginar o que viria no próximo tempo de jogo. Por este motivo, passei a jogar com dois volantes. Tirando o Diego Oliveira e colocando o Jardel. E assim voltamos para o segundo tempo: 



E mais tristeza... Caxias empata o jogo com um gol do Rafael Santiago. Permaneci calmo e busquei uma solução. Coloquei um atacante no lugar de um zagueiro e pus um meia ofensivo no lugar de um volante. E voltamos para o segundo tempo com uma formação totalmente ofensiva: 




Quando voltamos ao segundo tempo de jogo, não demorou muito e já conseguimos se recuperar, Zulu, Bérgson e Ronaldo, esses foram autores da '' revolução'' do Juventude no segundo tempo. Foi uma recuperação surpreendente, fiquei admirado por ter conseguido achar a formação certa para vencer o jogo. 
Ele terminou assim:




Meio caminho para sair do estádio, fui abordado por um repórter. O mesmo pediu para entrevistar-me e eu concordei:

Repórter: O que você tem a dizer sobre este resultado?
Eu: Fiquei bastante surpreso. Quando voltamos do primeiro tempo com um 2 x 1, fiquei ciente de que teríamos de manter o placar ou amplia-lo. Percebi que a mesma formação não daria conta, daí então busquei uma opção mais ofensiva e deu certo.
Repórter: Você acha que a equipe do Juventude está capacitada para ganhar o estadual?
Eu: O futebol é um caixinha de surpresas, o fato de estarmos bem no campeonato, não significa que seremos campeões. O importante é focar nos próximos jogos e vê o que vai dar.
Repórter: Obrigado Lucas Almeida, até mais.
Eu: De nada, até a próxima. *risos*

Estávamos indo bem, mais vi a nossa tabela de jogos e avistei o Grêmio como próximo adversário. O mesmo estava na segunda posição, com três pontos atrás de nós:



Passamos o dia todo treinando com o objetivo de superar o Grêmio. Conversas sérias, treinos de passe, finalização e trabalho em equipe foram prioridades. Escalei o time tentando ser preciso ao máximo. Assim fomos para o jogo:





Sem muito falar com os jogadores, esperamos a hora de entrar em campo e logo começou o jogo...

No primeiro tempo, aos 24' levamos um gol, Zé Roberto foi o autor. Jogadas pra lá, jogadas pra cá, e finalmente, aos 30', o craque do nosso time, Ronaldo empatou. 
Ao fim da primeira etapa, antes de continuar, não modifiquei o elenco inicial. Voltamos do mesmo jeito, não houve muito perigo no 2º tempo e ambas equipes levaram um ponto para "casa".



Com o término da 2º rodada do 2º turno, a classificação do estadual estava desta forma:


Continuando na mesma posição, três pontos atrás do primeiro e três pontos a frente do terceiro. 

"Estamos indo muito bem" - disse-me o presidente da equipe.

Fiquei feliz em ouvir isto de quem me deu a chance de treinar o time. Creio que ainda há muitos obstáculos para sermos uma equipe de alto nível, mas até agora está de bom tamanho.


Continua no próximo episódio....